fbpx
Cidadania

ACNUR atualiza dados sobre pessoas refugiadas na Ucrânia para refletir movimentos recentes

A guerra da Ucrânia causou uma das maiores crises de deslocamento forçado até hoje no mundo. Milhões de refugiados atravessaram para países vizinhos, e muitos se tornaram deslocados internos. O ACNUR tem respondido à medida que a situação evolui e que novos dados se tornam disponíveis.

portal apresenta agora o número estimado de pessoas refugiadas  em 44 países em toda a Europa, bem como atualizações sobre os postos de fronteira da Ucrânia desde o dia 24 de fevereiro, movimentos de retorno à Ucrânia, e registros de solicitação de proteção temporária na Europa.

Até 7 de junho, cerca de 7,3 milhões de passagens foram registradas na fronteira saindo da Ucrânia, com 2,3 milhões de passagens de retorno para o país.

De acordo com novos dados coletados pelo ACNUR com autoridades nacionais , pelo menos 4,8 milhões de pessoas refugiadas da Ucrânia foram registradas em toda a Europa, incluindo aquelas que primeiro cruzaram para os países vizinhos e depois seguiram em frente.

“Desde o início, o ACNUR fortaleceu a sua capacidade de coleta e análise de dados nos países que acolheram pessoas refugiadas sobre o perfil, vulnerabilidades e intenções dessa população”, disse Raouf Mazou, Alto Comissário Assistente para Operações do ACNUR. “Isto é crucial para assegurar uma resposta humanitária eficaz, permitindo a nós e aos nossos parceiros responder às necessidades críticas com apoio específico, e elaborar um plano melhor para o futuro”.

A solidariedade nos Estados que recebem pessoas refugiadas permanece extraordinária. Os Estados-Membros da União Europeia tomaram medidas sem precedentes, ativando rapidamente a Diretiva de Proteção Temporária pela primeira vez, garantindo o acesso à proteção e a serviços para refugiados da Ucrânia. Outros Estados europeus ampliaram esquemas semelhantes de proteção.

Das 4,8 milhões de pessoas refugiadas ucranianas na Europa, 3,2 milhões se registraram para receber Proteção Temporária ou esquemas nacionais de proteção semelhantes.

Embora a situação de segurança na Ucrânia permaneça frágil, foram registradas passagens de ida e de volta.

Alguns cruzam para a Ucrânia para avaliar a situação, verificar propriedades, visitar os membros da família ou ajudá-los a sair. Outros estão indo para a Ucrânia Ocidental e áreas ao redor de Kiev e Chernihiv, onde pretendem permanecer.

Muitos que se mudaram de volta encontraram suas casas gravemente danificadas e lutaram para buscar emprego – já que a guerra continua tendo um impacto econômico devastador – e não tiveram outra escolha senão se deslocarem novamente. Estes desenvolvimentos estão refletidos no portal atualizado.

Para mais informações sobre o tema:

Para ler o texto completo, clique aqui.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo