fbpx
Cultura

Artista curitina toca viela de roda nas ruas da cidade

 

Uma melodia suave, agradável de se ouvir, rompia o barulho da Boca Maldita na manhã de sábado.
Raine Holtz tocava viela de roda e agradava quem passava por ali na barulhenta manhã de sábado.
O instrumento musical é considerado um dos mais obscuros e raros do mundo.
Característico de Raine Holtz, pioneira em seu uso na atualidade brasileira, viela de roda é um instrumento medieval de cordas da família do violino, provavelmente originada das vielas de arco européias e do Oriente Médio, no século IX, explica folheto distribuído pela artista em suas apresentações.

Suas cordas são dispostas no instrumento passando por cima de roda de madeira resinada com breu, envoltas em algodão para ocasionar a fricção necessária para a produção do som.

Conforme a roda é girada através do uso de manivela ao lado direito, a música é criada. As cordas centrais, chamadas de cantoras, passam por dentro de estrutura chamada de caixa de teclas, onde são tocadas por tangentes de madeiras em pontos específicos acionadas por teclado diatonico ou cromático, e assim produzem duas oitavas.
As cordas adicionais que não passam por dentro da caixa de teclas desempenham a função de bordões e pedais, notas contínuas que acompanham a melodia.
Raiane vai se apresentar num recital no dia 13 de maio, no Sesc Paço da Liberdade, 20 horas 
Siga a artista no Intagram: @raineholtz
e no site raineholtz.com

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo