Saúde

Brasil recebe primeiro lote de vacina para crianças

Remessa com 1,2 milhão de doses do imunizante da Pfizer foi descarregada no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (São Paulo).
Neste mês devem chegar ao Brasil 4,3 milhões de doses.
O lote será distribuído a estados e municípios para iniciar a aplicação, a partir de sexta-feira.
Segundo o Ministério da Saúde, durante o primeiro trimestre devem chegar ao Brasil quase 20 milhões de doses pediátricas, destinadas ao público-alvo de 20,5 milhões de crianças.
Em fevereiro, a previsão é que sejam entregues mais 7,2 milhões, e em março, 8,4 milhões.
Na semana passada, o ministério anunciou a inclusão dos imunizantes pediátricos no plano de operacionalização do Programa Nacional de Imunizações (PNI).
Segundo a pasta, a criança deve ir aos postos de vacinação acompanhada dos pais ou responsáveis ou levar uma autorização por escrito.
O esquema vacinal será de duas doses, com intervalo de oito semanas entre as aplicações.
VACINAÇÃO

A imunização de crianças de 5 a 11 anos será feita por faixa etária, com prioridade para os que têm comorbidades ou sejam portadores de deficiência permanente. 

De acordo com a atualização do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), do Ministério da Saúde, o intervalo entre as duas doses deve ser de oito semanas.

Os pais devem estar presentes na imunização dos filhos e se isso não for possível, a aplicação deve ser autorizada em termo de consentimento assinado por eles.

Cada estado vai divulgar a data de início da vacinação.

Cabe às secretarias estaduais de Saúde a distribuição das doses para os municípios. Como cada região tem uma realidade logística diferente, a definição do cronograma fica por conta dos gestores estaduais e municipais.

Recomendações

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, no início do mês, uma série de recomendações sobre a vacinação infantil.

A agência sugere que a imunização ocorra em sala separada da de adultos e que a vacina não seja administrada no mesmo período de outras do calendário.

Por precaução, é recomendado um intervalo de 15 dias.

A Anvisa também recomenda que seja evitada a vacinação de crianças no esquema drive-thru (dentro do carro); que elas fiquem em observação no local por 20 minutos após receber a dose; e que os profissionais de saúde informem os pais sobre possíveis efeitos adversos do imunizante, como dor, inchaço no local da aplicação e febre.

O governo brasileiro encomendou 20 milhões de doses de vacina, todas da farmacêutica Pfizer.

A dose para crianças será diferente da aplicada em pessoas a partir de 12 anos.

Os frascos terão cores distintas para evitar erros na aplicação.

A embalagem do imunizante para crianças tem a cor laranja e para adultos, roxa.

 ( COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA BRASIL)

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo