Empreendedorismo

Conta Azul chega a Curitiba para desburocratizar gestão de MPEs

A Conta Azul chega a Curitiba neste mês de setembro com uma sede física com proposta de apoiar micro e pequenas empresas (MPEs) na organização de suas rotinas financeiras.

A fintech criada em Joinville em 2012 escolheu Curitiba para dar início a seu processo de regionalização por ter parcerias já consolidadas na cidade – que já foi considerada pela Endeavor uma das quatro melhores capitais do País para empreender e que, neste mês, também foi eleita a cidade mais empreendedora do Brasil, pelo Ranking Connected Smart Cities 2021.

Por meio de um ERP em nuvem de gestão empresarial, a plataforma oferece um processo simplificado para desburocratizar fluxos e atividades rotineiras na gestão de micro e pequenas empresas, com ganho de tempo para as atividades realmente lucrativas da organização.

“Somos um ERP que conecta o dono do pequeno negócio a tudo o que ele precisa, a começar pela contabilidade, bancos, governo e outros aplicativos. Tudo em um só lugar, sem a complexidade dos processos operacionais”, explica o CEO da Conta Azul, Vinicius Roveda.

E completa dizendo “gastamos no Brasil em média 8 vezes mais horas em burocracia do que a média mundial. Com o ERP da Conta Azul, a burocracia é eliminada”.

O grande diferencial da Conta Azul é tornar acessível e intuitiva a gestão de MPEs por meio de um ERP em nuvem – o que antes só era possível para empresas com times e faturamento grandes. Um ERP – sigla em inglês para a expressão Planejamento de Recursos Empresariais – é um sistema de gestão de dados e processos de uma empresa.

Com a Conta Azul Pro, a fintech oferece um sistema simples de usar, que dispensa implantação e possibilita que a pequena empresa tenha a segurança de cumprir suas obrigações fiscais e tenha o controle da gestão de vendas, financeira e de clientes.

As MPEs são o principal público da Conta Azul porque estão intimamente ligadas ao propósito da empresa de estimular e alavancar o empreendedorismo no País.

Segundo o Sebrae, as MPEs são responsáveis pela geração de 52% de empregos formais no Brasil. Só em julho deste ano, foram responsáveis por pouco mais de 72% das contratações.

“Empreender no Brasil significa encarar uma grande complexidade tributária, fiscal e trabalhista. Sabemos que 47% das pequenas empresas fecham antes de completar 5 anos de existência por não saberem como lidar com tudo isso. Nossa proposta é simplificar essa gestão”, pontua Roveda.

Os contadores também ganharam a atenção da Conta Azul, que criou soluções específicas para que recebam de forma automática e em tempo real os documentos de seus clientes. Isso significa eliminar tarefas manuais de digitação, além de um grande ganho de produtividade, ao economizar mais de 350 horas na operação da empresa contábil com a Conta Azul Mais.

O CFO da Conta Azul, Marcos Perillo, explica que a empresa acredita que o contador é a pessoa mais qualificada para aconselhar as pequenas empresas.

“Nós acreditamos que o mercado contábil é o principal aliado no propósito de transformar o Brasil por meio do empreendedorismo. Isso quer dizer que empresas contábeis ajudarão a levar organização e melhores decisões para os pequenos empreendedores brasileiros”, afirma Perillo.

Integrar para facilitar

A Conta Azul está integrada a mais de 600 prefeituras, aos cinco principais bancos do Brasil e a 60 empresas de tecnologia para auxiliar na gestão de vendas, no gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM), e em outros processos. “De um lado, temos o ERP em nuvem para as MPEs, que dá controle para os donos de negócios e, de outro, uma plataforma de contabilidade em nuvem, que torna o contador mais competitivo, melhorando sua performance e produtividade. Dessa forma, tornamos possível ter os dois principais agentes colaborando nesse ecossistema, por meio de tecnologia e eliminando totalmente a burocracia dos processos operacionais”, explica o diretor de Marketing e Canais, Gabriel Manes.

Histórico

O ponto de partida da fintech foi o programa de aceleração de startups no Vale do Silício, na Califórnia (EUA), quando o projeto Conta Azul foi selecionado pela 500 Startups, uma das mais importantes aceleradoras dos Estados Unidos. Os fundadores Vinícius Roveda, José Carlos Sardagna e João Zaratine mudaram-se para o Vale do Silício por uma temporada e, em 2012, a Conta Azul Pro foi lançada oficialmente pensada para simplificar a gestão financeira das MPEs. Os fundadores decidiram abrir a sede em Joinville, Santa Catarina. Em menos de 10 anos, a Conta Azul coleciona diversas conquistas em sua trajetória. Já foi listada entre as 10 empresas mais inovadoras da América Latina da revista Fast Company – pela inovação para aumentar a capacidade de vida das pequenas empresas. A fintech também chamou a atenção da equipe da revista Harvard Business Review, a mais conceituada revista de gestão do mundo, que escreveu sobre a cultura da Conta Azul – uma cultura que fomenta a alta performance, ao mesmo tempo em que gera um bom ambiente de trabalho. Hoje a empresa tem mais de 420 colaboradores.

Grandes marcos

A Conta Azul foi a responsável pela primeira operação estruturada em Open Banking do País, com uma integração com o Banco do Brasil. Isso permitiu que os clientes correntistas de uma das maiores instituições bancárias do Brasil importassem automaticamente seu extrato da conta corrente para a plataforma. A empresa também é responsável pelo maior evento itinerante de contabilidade do mundo, com mais de 85 edições entre 2016 e 2019 e 17 mil contadores participantes. A iniciativa faz parte da transformação digital e do desenvolvimento do mercado contábil no País.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo