fbpx
Saúde

Julho Amarelo prevê testes gratuitos contra hepatites virais

O mês de julho é marcado pelo combate às hepatites virais. Também chamado julho amarelo, a data tem como objetivo reforçar a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento das Hepatites Virais. Segundo a estimativa da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), mais de 1,5 milhão de pessoas têm hepatite, mas apenas cerca de 300 mil sabem disso.

Essa doença consiste em uma inflamação do fígado causada por vírus da hepatite B ou C e que pode levar a cirrose e câncer de fígado.

“Em grande parte dos casos, as hepatites virais são doenças silenciosas que não apresentam sintomas e, quando os sinais aparecem, a doença já está em estágio avançado ou quando o paciente apresenta cirrose ou hepatocarcinoma”, alerta a hepatologista do CIGEHP — Centro de Gastroenterologia e Hepatologia, localizado no Hospital Nossa Senhora das Graças, Daphne Morsoletto.

Testagem gratuita – Para garantir que a população realize o teste e receba o encaminhamento para tratamento, médicos hepatologistas do CIGEHP realizarão 500 testes gratuitos para moradores de Almirante Tamandaré. Os testes serão aplicados nos dias 9 e 16 de julho — dois sábados consecutivos — na Escola Professora Clair do Rocio Sandri.

Os testes levam cerca de 30 minutos e também serão realizadas palestras sobre o tema. Para o procedimento os médicos retiram uma pequena gota de sangue do dedo da mão e que permite a detecção do anticorpo anti-HCV em amostras de soro, plasma ou sangue total.

A médica hepatologista do CIGHEP que está coordenando a ação em Almirante Tamandaré, Cláudia Ivantes, explica que o teste é fundamental, tendo em vista que a pessoa pode ter adquirido a doença e não saber.

“Por isso é muito importante que – pelo menos uma vez na vida — as pessoas façam o teste para saber se já tiveram ou têm hepatite C ou B”, alerta Cláudia.

A hepatologista reforça que para hepatite B existe vacina — disponível no sistema público para todas as faixas etárias, previne a doença e tem sido responsável pela queda nas notificações e ocorrência do agravo no Estado. Já para a hepatite C existe tratamento, com taxas de cura próximas a 100%.

“A prevalência da Hepatite C é de 0.7% no país. No entanto, mais de 70% das pessoas não sabem que têm o vírus. A meta do Ministério da Saúde é eliminar a Hepatite C até 2030, mas para isso é preciso testarmos as pessoas”, reforça Claudia.

A ação de testagem rápida é coordenada pelo CIGHEP e conta com o apoio da Associação Paranaense de Hepatologia, Grupo de Ação Social Com Mais Paixão e Secretaria Estadual de Saúde do Paraná e Secretaria Municipal de Almirante Tamandaré.

O médico e cirurgião do CIGEHP, Eduardo Ramos, que é especialista em transplantes de fígado e pâncreas, explica que é muito raro as hepatites virais se tornarem fulminantes – casos em que o paciente precisa de transplante. “Geralmente as causas de hepatites fulminantes são medicamentosas ou desconhecidas. No entanto, neste mês de julho, queremos deixar o alerta sobre a importância de vacinação e da realização dos testes para um maior controle da saúde hepática”, completa Eduardo Ramos.

Hepatites

O presidente da Associação Paranaense de Hepatologia, Dr. Alcindo Pissaia Junior, que também integra o CIGHEP, explica que no Brasil, os tipos mais comuns de hepatite são causados pelos vírus A, B e C. “Mas também existe o vírus da hepatite D (mais frequente na região Norte) e o vírus da hepatite E, que possui ocorrência rara no país”, conta.

A Hepatite A e E tem transmissão oral-fecal, sendo que a qualidade da água, saneamento básico e as boas práticas de higiene na manipulação de alimentos previnem a doença.

As Hepatites B e C tem transmissão sexual e sanguínea, costumam ser silenciosas e acabam sendo descobertas quando a doença já está muito evoluída, com cirrose ou até com câncer de fígado (hepatocarcinoma).

Quanto à Hepatite C, milhões de pessoas podem ser portadoras desses vírus e não saber. É uma doença onde pode ocorrer agravamento do quadro, como cirrose e câncer de fígado. De 2000 a 2018, foram registradas 74 864 mortes no Brasil por hepatites. A hepatite C concentra 76% desses óbitos, segundo o último Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais, publicado em julho do ano passado pelo Ministério da Saúde.

“Para esse agravo não há vacina disponível. No entanto, a incorporação pelo Sistema Único de Saúde de novas terapias e inclusão de todos os pacientes com diagnóstico positivo para hepatite C no tratamento, está mudando o quadro epidemiológico dessa doença no Brasil e no Estado, pois o arsenal medicamentoso disponível hoje apresenta altos índices de cura (superior a 95%) e grande facilidade posológica que tem se mostrado eficaz no combate à doença”, destaca Cláudia Ivantes.

Prevenção

– Use preservativos em todas as relações sexuais.

– Não compartilhe objetos de uso pessoal, tais como agulhas, alicates de unha e lâminas de barbear.

– Exija sempre materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e piercing, consultórios médicos, odontológicos, manicures, etc.

– Lave as mãos (incluindo após usar o banheiro, trocar fraldas e antes do preparo de alimentos).

– Lave bem os alimentos antes do consumo.

– Vacine-se contra as hepatites A e B.

 

Serviço

Testes Rápidos gratuitos em Almirante Tamandaré

Data: 09 e 16 de julho 

Horário: das 09 às 17h

Local: Escola Professora Clair do Rocio Sandri.

Endereço: Rua Roberto Dreschler, 22 — Almirante Tamandaré

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo