Saúde

Ministro Queiroga diz que falta de vacinas se deve a antecipação de etapas nos estados

O ministro Marcelo Queiroga rebateu as críticas sobre falta de vacinas feitas pelo governador João Doria, de São Paulo, dizendo que o estado não seguiu o Plano Nacional de Imunizações e avançou etapas utilizando cotas de vacinas de forma precoce.

O ministro destacou que o Brasil já distribuiu 259 milhões de vacinas, com aplicação em 210 milhões de pessoas, 70 milhões com a segunda dose ou com uma dose definitiva.

Deu como exemplo visita que fez em Manaus, para inaugurar unidade básica de saúde fluvial.

“Estive em Manaus para habilitar uma UBS fluvial. Lá tinha um posto de vacinação com . Por que em uma unidade ribeirinha tem vacina e no principal estado do Brasil não tem? Porque lá no estado do Amazonas está se seguindo as orientações do PNI (Programa Nacional de Imunização)”, reforçou o ministro, citando o estado de São Paulo.

O Ministério da Saúde bateu recorde de distribuição de vacinas Covid-19 em agosto: a pasta entregou mais de 60,8 milhões de doses para todos os estados e o Distrito Federal.

Para setembro, a expectativa é receber mais de 62,6 milhões de doses dos laboratórios fabricantes.

O Brasil está cada vez mais perto de atingir a meta, que é prioridade do Ministério da Saúde: vacinar toda a população adulta acima de 18 anos com a primeira dose até a primeira quinzena deste mês.

Até agora, mais de 81% do público-alvo começou o ciclo vacinal.

Alcançar essa meta vai permitir que o país avance para novas etapas da campanha de vacinação, como a aplicação da dose de reforço para idosos acima de 70 anos e pessoas imunossuprimidas e a redução do intervalo entre as doses da Pfizer e Astrazeneca, de 12 para 8 semanas.

As ações foram amplamente debatidas com especialistas, técnicos, comunidade científica e pactuada entre representantes da União, estados e municípios.

Nos últimos meses, o trabalho das equipes do Ministério da Saúde, como os técnicos do Programa Nacional de Imunizações (PNI) e do Departamento de Logística, se intensificou para garantir que as vacinas cheguem com agilidade a todas as Unidades da Federação dentro dos parâmetros de qualidade.

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo