fbpx
Geral

Navio da Guarda Costeira americana visita Brasil em missão multilateral de combate à pesca ilegal

Rio de Janeiro e Salvador estão na rota do primeiro cruzeiro da embarcação pelo Atlântico Sul

O recém construído navio da Guarda Costeira dos Estados Unidos, o USCGC Stone, partiu de Pascagoula, no estado americano do Mississippi, no dia 22 de dezembro do ano passado, iniciando sua primeira patrulha, a Operação Cruzeiro do Sul, cujo objetivo é combater a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (IUU, na sigla em inglês) no Atlântico Sul, estreitando, assim, as relações entre nações para cooperação e segurança marítima na região. O navio entrou em águas brasileiras na última segunda-feira, 11, e sua tripulação conduzirá uma série de  treinamentos junto com a Marinha Brasileira nos dias 18 e 19 no Rio de Janeiro. Depois de passar por outros países vizinhos, o USCGC Stone atracará em Salvador em 8 de fevereiro.  

A pesca ilegal é a principal ameaça global à segurança marítima e estima-se que seja responsável pela perda anual de dezenas de bilhões de dólares em receita para pescadores legais. Ao depreciar acordos internacionais e medidas de conservação da pesca, essa atividade ilegal prejudica a segurança alimentar global, desestabiliza a segurança econômica de Estados costeiros e viola a soberania nacional. “Essa missão multilateral exemplifica a importância dedicada pelos EUA aos esforços globais de combate à pesca ilegal, incluindo o fortalecimento das regras que regem a atividade internacionalmente, o aprimoramento da governança marítima e o fomento a parcerias que gerem resultados colaborativos e duráveis em segurança”, afirma o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman. 

Enquanto peixe é proteína essencial para mais de 40% da população mundial, a pesca IUU impede o acesso a esse valioso recurso, principalmente nos países costeiros mais vulneráveis. A Guarda Costeira americana é especializada em desenvolver e implementar mecanismos de fiscalização e transferir esse conhecimento a nações parceiras para que criem uma frente única de combate à pesca ilegal em qualquer oceano. “Um oceano saudável, produtivo e resiliente é vital para se alcançar crescimento econômico e prosperidade, segurança alimentar, saúde humana e recursos marinhos sustentáveis. O problema mundial é muito maior do que qualquer nação pode resolver sozinha. Estou orgulhoso do trabalho que fizemos e faremos juntos para enfrentar esse desafio”, argumenta Chapman.  

O USCGC Stone esteve na costa da Guiana antes de vir ao Brasil e daqui partirá para países vizinhos, entre eles o Uruguai 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo