fbpx
Segurança

Operação combate comércio ilegal de cobre e bronze

 

Quatro estabelecimentos comerciais de compra e venda de materiais recicláveis (sucatas e ferros-velhos) foram vistoriados na manhã desta sexta-feira (24/6) em uma nova fase da Operação Retináculo.

Desta vez, a fiscalização ocorreu no bairro Portão.

As empresas foram notificadas pela Vigilância Sanitária para regularizar possíveis focos de dengue.

Também foram emitidas três notificações e um auto de infração pela Secretaria Municipal de Urbanismo pela falta de um alvará de localização e funcionamento, além de uma notificação por usurpação da via em um dos espaços.

Uma tampa de ferro, que pertence a Copel, também foi apreendida e será devolvida.

Combate ao crime

A Operação Retináculo tem como objetivo coibir o crime de receptação de materiais furtados que são patrimônio da Prefeitura de Curitiba, como grades de bueiros, fiação elétrica, cabos de comunicação, tampas, floreiras e materiais do mobiliário urbano.

“Essas ações serão feitas de forma rotineira em bairros das dez administrações regionais de Curitiba. A presença das forças de segurança, com a Guarda Municipal, inibe crimes como furtos de materiais públicos da Prefeitura”, explicou o secretário de Defesa Social e Trânsito, coronel Péricles de Matos.

A operação conjunta  foi comandada pela Secretaria Municipal da Defesa Social e Trânsito, em conjunto com guardas municipais e servidores da Administração Regional Portão.

E contou com o apoio de grupos especiais da GM, como o GOE (Grupo de Operações Especiais), GTM (Grupo Tático de Motos) e do GOC (Grupo de Operações com Cães) e o Departamento de Inteligência.

A ação envolveu também as secretarias municipais do Urbanismo, do Meio Ambiente e da Educação e a Vigilância Sanitária.

As fases anteriores da Operação Retináculo foram feitas nos dias 1/6 e 8/6, e resultou na prisão de dois homens e de um foragido da justiça pelo crime de receptação

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo