fbpx
Esporte

Paradesporto recebe novas ações de apoio do Paraná

O governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou o programa O Paradesporto que Queremos, que vai aprimorar as políticas públicas de incentivo e ampliar as ações voltadas às modalidades deste segmento, seguindo os princípios do Sistema Esportivo Federal e da Lei Geral do Esporte do Estado do Paraná.

Ao mesmo tempo, Curitiba se estrutura para sediar o Centro de Referência Paralímpico Brasileiro, espaço destinado à prática esportiva para pessoas com deficiência.

Lançado para uma plateia repleta de paratletas e atletas paranaenses, o programa promovido pela Superintendência Geral do Esporte inova com a estruturação de uma rede de desenvolvimento do paradesporto, que contará com metodologia específica, infraestrutura, materiais adaptados e capacitação.

“O paradesporto foi tratado, por muito tempo, de forma marginal, no sentido de estar à margem das prioridades financeiras ou de poder contar com equipes técnicas para preparar os atletas”, afirmou Ratinho Junior.

A iniciativa conta, neste primeiro momento, com a adesão de sete municípios com infraestrutura adequada para a proposta, além da Capital. São eles: Ponta Grossa, Campo Mourão, Cascavel, Telêmaco Borba, Cornélio Procópio, Maringá e Francisco Beltrão.

“Esses municípios assinaram um protocolo de intenções e contarão com ginásios adaptados, alguns deles já em andamento, para as atividades paradesportivas.Em Curitiba, os paratletas têm acesso às estruturas dos ginásios do Tarumã e do Capão da Imbuia, além das unidades da prefeitura, que terão programas desportivos”, explicou o superintendente-geral do Esporte, Helio Wirbiski.

KITS – Durante o evento, Ratinho Junior entregou 10 kits de materiais esportivos multimodalidades adaptados, no valor de R$ 20 mil cada, e 10 kits de cadeiras de rodas, no valor de R$ 5 mil cada.

Esses materiais foram adquiridos por meio do Programa Paraná Mais Cidades, que conta recursos de emendas parlamentares apoiando uma série de ações do Estado, incluindo as voltadas ao desenvolvimento esportivo regional.

Somente nos últimos quatro anos, o programa fez a entrega de 50 cadeiras de rodas, 109 parques adaptados, além de equipamentos e instalações esportivas para mais de 50 Associações dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes), totalizando um investimento de R$ 450 mil.

AÇÕES – O Paraná é referência nacional no desenvolvimento de ações voltadas à prática paradesportiva, como os Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná (Parajaps), que em suas duas últimas edições tiveram um investimento médio de R$ 2,4 milhões e a participação de 3.500 atletas.

Neste ano, o Parajaps contará com o Termo de Cooperação Técnica com o município de Londrina, onde o evento será sediado.

Outra ação de sucesso é o programa Geração Olímpica e Paralímpica, que atua com bolsa-atleta, e se tornou uma grande vitrine esportiva dentro e fora do Estado e também uma referência em todo Brasil, inspirando diversos estados a criarem projetos seguindo o mesmo modelo.

Em sua 11ª edição, o programa vem a cada ano ganhando mais interesse de paratletas e técnicos, com o apoio do Governo do Estado e o patrocínio da Copel.

Nos últimos quatro anos, o Geração Olímpica e Paralímpica realizou 650 atendimentos ao paradesporto e teve um investimento de R$ 3,4 milhões. Como resultado, os bolsistas do programa conquistaram nove medalhas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

Um dos beneficiados é o atleta curitibano de paratriatlo Ronan Cordeiro, segundo colocado no ranking mundial da modalidade e participante da Paralimpíada de Tóquio 202

O foco do atleta já está em Paris 2024.

“Graças ao programa, eu realizei o meu grande sonho, que era estar nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Agora estou cada dia mais próximo de um sonho mais ousado, que é conquistar a medalha inédita para o paratriatlo brasileiro na Paralimpíada de Paris”, afirmou.

Além do Geração Olímpica e Paralímpica, o Programa Estadual de Fomento e Incentivo ao Esporte (Proesporte) investiu, nos últimos três editais, aproximadamente R$ 3,6 milhões decorrentes de renúncia fiscal, distribuídos para 27 projetos voltados a iniciativas do paradesporto. Em fase de análise, já está separado R$ 1,8 milhão para mais 25 projetos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo