fbpx
Saúde

Pavilhão da Cura imuniza profissionais da linha de frente de combate ao coronavírus

A Secretaria da Saúde de Curitiba agendou para este primeiro dia da vacinação dos profissionais da linha de frente, 700 pessoas

Após dez meses na linha de frente da pandemia do novo coronavírus, chegou a hora dos 12 mil profissionais que atendem pacientes covid-19 em hospitais e UPAS (Unidades de Pronto Atendimento) de Curitiba receberem a primeira dose da CoronaVac.

São pessoas como as técnicas em enfermagem Patrícia Lopes e Lilian Nunes, que trabalham na UTI do Instituto de Medicina, um dos três hospitais exclusivos de covid-19 da cidade. “Estamos desde o início trabalhando na ala covid, e agora com a sensação de alívio, de esperança para seguir em frente, com o trabalho e com a vida”, contou Patrícia.

Elas moram em Fazenda Rio Grande e trabalham em Curitiba.

Painel avisa hora da vacina

O agendamento feito pelo aplicativo Saúde Já funcionou sem problemas. “Baixei o aplicativo, preenchi os dados do campo covid e recebi a mensagem com o dia e horário. Achei bem tranquilo”, conta Lilian.

A Secretaria da Saúde de Curitiba agendou para este primeiro dia da vacinação dos profissionais da linha de frente, 700 pessoas.

Até o fim de semana, o Pavilhão da Cura estará com sua capacidade máxima de atendimento, podendo vacinar até 6 mil pessoas por dia.

O espaço arejado conta com 52 salas de vacinação equipadas com insumos, lixeiras para descarte de material, pia para limpeza das mãos, álcool, algodão e computador para registro on-line dos dados da vacinação.

Dr. Dorivam, UPA Boqueirão

Achei ótimo concentrar a vacinação num espaço só, e aqui é bem seguro, organizado, porque fazer esse tipo de vacina nas Unidades de Saúde não iria mesmo dar certo nesse início, pelo risco de aglomeração, principalmente. A Prefeitura acertou em trazer para cá”, disse Helena Heloísa, técnica de enfermagem da ala covid-19 do Hospital Santa Cruz e também da UPA Boqueirão, que virou um hospital de retaguarda de covid-19 na cidade.

Com 50 anos de profissão, o médico da UPA Boqueirão Dorivam Celso Nogueira, disse que a vacina representa a chance de escapar de uma nova contaminação. Ele teve covid-19 no ano passado e ficou uma semana com suporte de oxigênio.

“Estou aqui feliz da vida porque já tive covid-19 e não recomendo a ninguém. A vacina é uma força a mais para vencer a pandemia e para escapar de passar por isso uma segunda vez”, disse Dorivam Celso Nogueira, médico da UPA Boqueirão.

A estimativa da Secretaria Municipal da Saúde é de que até o dia 3 de fevereiro sejam vacinados com a primeira dose da CoronaVac todos profissionais da linha de frente.

Outro grupo prioritário que está sendo vacinado em Curitiba são os idosos, moradores e funcionários de Instituições de Longa Permanência, como asilos.

“Nossa estrutura de vacinação é uma das melhores do país, mas as pessoas precisam ter paciência e entender que estamos priorizando os mais vulneráveis e expostos ao novo coronavírus. As vacinas estão chegando aos poucos, mas todos serão imunizados”, disse a secretária da Saúde, Márcia Huçulak.

Aplicativo Saúde Já

O agendamento da vacinação, de acordo com as listas enviadas, será via aplicativo Saúde Já. O profissional receberá uma mensagem com a data e horário da vacinação.

O aplicativo oferece as opções de Aceitar a agenda, Reagendar ou Recusar (a vacina). O reagendamento só pode ser feito apenas uma vez.

As direções dos hospitais foram comunicadas pela Secretaria da Saúde para orientarem os profissionais a baixarem o aplicativo e fazerem o cadastramento. O Saúde Já pode ser encontrado nas lojas virtuais das plataformas Google Play ou Apple Store. Pelo site www.saudeja.curitiba.pr.gov.br também é possível fazer o cadastramento e receber o agendamento.

Para profissionais da Região Metropolitana que trabalham em Curitiba nesses hospitais, o aplicativo permite o cadastramento numa versão mais simples, apenas para a funcionalidade da vacina.

Caso algum profissional desse grupo de linha frente tenha dificuldade com o cadastramento no aplicativo, pode ligar para a Central de Teleatendimento (41) 3350-9000. A Secretaria da Saúde acrescentou na central um serviço exclusivo para orientações sobre a vacina da covid-19 na capital.

foto: Daniel Castellano-SMCS

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo