fbpx
Política

Pré-candidato Matheus Simões encontra com presidente em Brasília

O jovem pré-candidato Matheus Simões participou de seleto grupo de pré-candidatos do Partido Progressistas que teve nesta semana passada uma rápida audiência individual com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília.

“Fui surpreendido com o convite e encontrei um presidente alegre, descontraído, com o qual tive a rara oportunidade de apresentar propostas de trabalho, como aumentar a segurança no trânsito de nossas estradas, fortalecer a defesa do agronegócio, melhorar a oferta de crédito para micros e pequenos empresários, ampliar a educação técnica nas zonas rurais e defender os valores familiares. Também pude dizer que apoiamos interferência oficial para impedir os abusivos aumentos de combustível”.

Carlos Matheus Simões, Matheus Simões, é pré-candidato a deputado estadual pelo Partido Progressistas.

A decisão foi tomada há 60 dias, após a fatalidade da morte prematura do pai, o ex-deputado estadual Carlos Simões, ocorrida num acidente automobilístico causado por uma irregularidade de sete anos na BR-116, em Mandirituba: pista dupla fechada e trânsito de veículos apenas em duas pistas comuns, feito em alta velocidade, com riscos permanentes para manobras na entrada de posto de gasolina após o pedágio, em direção ao Sul.

Indignado com a causa da perda, preocupado com a possibilidade de novos acidentes fatais, gravou um vídeo no local ao fotografar a falta de sinalização para a manobra.

O vídeo viralizou e três dias depois a concessionária abriu o trecho fechado.

“A manobra para sair da rodovia e entrar no posto era temerária porque alguns empresários impediram a abertura do trecho para evitar pagamentos de pedágios. Mortes, pessoas feridas, prejuízos materiais, nada tinha valor. Ninguém lutou para a abertura do trecho duplicado, não houve manifestação inclusive do Ministério Público, normalmente atento a situações deste tipo. A repercussão do vídeo feito com a dor do luto foi tão grande que provocou a liberação da rodovia para aumentar a segurança no local. Por que decidi pela minha pré-candidatura? Simples: meu pai e meu tio Íris Simões no passado lutavam para proteger a população e com certeza uma anormalidade como a que matou meu pai não existiria”.

A carreira política sempre esteve na vida de Matheus.

A família conversava sobre as eleições deste ano, com filiação ao Partido Progressistas estava marcada reunião com dirigentes partidários para a semana seguinte ao acidente.

Ainda criança, Matheus adorava acompanhar o pai em seu gabinete de deputado estadual, sentar na poltrona das sessões, simular pronunciamentos,  participar das reuniões de comissões, vestido a caráter.

Escolhia o terninho, a gravata, e se mandava junto com o pai.

“Eu sou Matheus Simões, eu quero ser presidente do Brasil”, discursou aos sete anos para um plenário improvisado, indicando a vontade de ser político.

Nas férias escolares, ia todos os dias.

“Meu pai recebia muita gente simples no gabinete, com demandas de todos os níveis, de elevado interesse comunitário, em especial pessoas desprotegidas.”

A coleção de terninhos considerava a liturgia do cargo, o cerimonial e o valor do voto.

PROPOSTAS

Matheus Simões escolheu três áreas de atuação.

A primeira é o trânsito e seus pontos críticos, as condições das estradas que escoam produções agrícolas de todos os níveis, para salvar vidas e diminuir os custos de produção.

Estradas intransitáveis aumentam as perdas e reduzem os ganhos da produção rural, afirma com a convicção de quem transporta produtos agrícolas na Região Metropolitana de Curitiba.

A motivação principal tem a preocupação de salvar vidas, invalidez e custos materiais elevados.

Lembra que seu pai, deputado Carlos Simões, brigou pelo asfaltamento da PR-092, feito pelo governo Requião e que beneficiou o escoamento da produção de laranjas e ponkans da região de Cerro Azul: as perdas das frutas que caíam dos caminhões por causa dos buracos eram assombrosas e os custos também aumentavam preços de produtos consumidos na cidade.

Os caminhões gastavam cerca de quatro horas para percursos de 34 quilômetros.

Ainda na área de trânsito seguro, a falta de atenção aos pedestres e ciclistas nas rodovias que cortam ou estão no entorno da Capital.

“Há passarelas separadas por 15 quilômetros de distância, a PR-427 de Campo do Tenente e a PR 419- Agudos a Mandirituba,  não tem acostamentos, não há controle de velocidade e os acidentes com mortes não sensibilizam autoridades, entre outros exemplos”.

O agronegócio terá seu apoio em todas as demandas, com foco nas necessidades do pequeno produtor, entre elas dificuldades para o crédito e orientação para produzir e vender.

O micro e o médio empresários vivem problemas que o afastam de apoios e crédito e por isso se incluem em suas metas de trabalho, no que se refere à burocracia.

“Por que a dona do salão de beleza não pode emprestar nos bancos oficiais dinheiro para equipar e melhorar o conforto de seu negócio? “.

Por último, defesa dos valores cristãos, da família, junto com o legado político e social do trabalho de seu pai.

Matheus Simões, com apoio do tio Íris Simões, que foi deputado federal e presidente da Câmara de Curitiba, também pretende retomar as atividades da “Casa do Povo”, programa de rádio com enorme audiência porque seu pai e o tio defendiam reivindicações populares.

Matheus Simões participava da gestão dos negócios da família, com plantios de eucaliptos, pinus, soja ,milho e feijão, três fazendas em Campo do Tenente, Lapa e Mandirituba, com o irmão Felipe Simões.

É fluente em inglês e um exímio sanfoneiro, um dos grandes estímulos do pai.

CARLOS SIMÕES

Natural de Pato Branco (PR),  Carlos Simões veio para Curitiba ainda muito jovem e, ao lado do inseparável irmão Iris Simões, iniciou sua carreira de radialista na Rádio Difusora AM 590. Depois elegeu-se vereador e, mais tarde, deputado estadual, sendo, inclusive, uns dos mais polêmicos parlamentares do Paraná. Chegou a apresentar programas de TV (Rede CNT e TV Iguaçu) com grande audiência  e ser proprietário de uma emissora de rádio (Tropical AM). Atualmente, Carlos Simões cuidava das propriedades rurais da família junto com os filhos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo