fbpx
Geral

Quatro caminhões recolhem lixo jogado nas margens do Rio Atuba

“Este é um grande bota-fora de tudo que é lixo doméstico. Um morador veio aqui e disse que logo vão acumular lixo de novo”.  Os trabalhadores da Prefeitura de Curitiba recolheram lixo que exigiu quatro caminhões para a retirada. Até uma retroescavadeira reforçou os trabalhos, tamanha a quantidade de lixo jogado na rua Rio Amazonas.

Moradores do Bairro Alto receberam a sexta etapa do mutirão Curitiba sem Mosquito de 2022, uma ação conjunta das secretarias municipais da Saúde e do Meio Ambiente para evitar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zyka e chikungunya.

A ação dessa vez contemplou uma região que margeia o Rio Atuba, no limite com o município de Pinhais. Essa é a primeira vez que a ação acontece de forma coordenada com outro município da região metropolitana.

Foi a segunda vez do ano que o mutirão passou pela Regional Boa Vista, umas das áreas com mais registros de focos do mosquito no município. Só em 2022, foram coletadas mais de 235 toneladas de lixo e entulhos.

Do outro lado da margem do Rio Atuba, a Prefeitura de Pinhais também organiza mutirões com dias e horários e agendas específicas.

Período de risco

A coordenadora do programa municipal de Controle do Aedes de Curitiba, Tatiana Faraco, lembra que os cuidados para evitar a criação de mosquitos devem ser mantidos durante todo o ano. O mosquito também prolifera nos períodos mais frios.

A adesão da população aos mutirões, recebendo os agentes e fazendo os descartes adequados, é essencial para que a cidade mantenha o baixo índice de infestação do mosquito. Além de uniformizados e identificados, os agentes usam os EPIs recomendados e mantêm todas as medidas de prevenção do novo coronavírus.

Em caso de dúvida, é possível ligar para o 156 para checar se aquele profissional realmente faz parte da equipe da SMS, todos os agentes estão identificados com crachás com suas credenciais profissionais.

Balanço

Até agora, neste ano, Curitiba confirmou 81 casos de dengue em moradores da cidade, todos eles importados – quando a pessoa contrai a doença durante viagens.

Nas inspeções de rotina, foram identificados, em 2022, 777 focos de Aedes aegypti na cidade. Isso não significa que esses mosquitos carreguem os vírus das doenças.

“Todo esse trabalho da Prefeitura é para evitar que o mosquito possa picar uma pessoa doente e passe a acontecer a transmissão autóctone, caso em que a doença se origina na cidade onde se mora”, alerta a coordenadora.

CUIDADOS
1 – Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água.
2 – Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada.
3 – Não jogue lixo em terrenos baldios.
4 – Se guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre a boca para baixo.
5 – Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje.
6 – Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda.
7 – Se guardar pneus velhos, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva.
8 – Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água.
9 – Lave com frequência, com água e sabão, os recipientes usados para guardar água, pelo menos uma vez por semana.
10 – Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com frequência.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo