fbpx
Empreendedorismo

Senai Paraná disputa quatro novas vagas para mundial de profissões na China

Dando sequência ao calendário de eliminatórias para representar o Brasil durante a 46ª WorldSkills International, maior competição profissional de nível técnico do mundo, programada para acontecer de 12 a 17 de outubro em Shanghai, na China, o Senai Paraná entra na disputa com quatro novas ocupações.

Na semana de 21 a 24 de fevereiro, a instituição disputa vaga nas modalidades #09 – TI Soluções de Software, com Leonardo Trevisan Silio; #50 – Arte Digital 3D para games, com a artista digital Anne Louise Paiva Calamucci; #08 – Desenvolvimento de aplicativos para celular, com Gabriel Henrique Tsubamoto dos Santos; e #57 – Manufatura aditiva (engenharia reversa), com Caio Hideki Hoshiba Klug Pimentel.

“Minha participação na WS começou em 2019, na seletiva estadual de Arte 3D para Jogos Digitais com o primeiro ouro; depois a conquista nacional em 2020 e, em 2021, a medalha de ouro na WorldSkills Américas”, diz Anne.

“Acredito que a prova dessa eliminatória vai seguir os mesmos padrões da competição mundial, como já vem acontecendo nas outras edições; estou confiante para conquistar a vaga e representar o Brasil em Shanghai”, completa a artista digital formada pelo Senai Paraná em Técnico em Informática.

“Tecnicamente, Anne já é a número 1 do Brasil para a WSI de 2022 na China. No entanto, em decorrência da pandemia, o calendário do evento sofreu diversas alterações fazendo com que Anne tivesse que disputar uma nova eliminatória final com a competidora do Rio de Janeiro, medalhista de prata da etapa nacional”, diz Marcos Pires, delegado técnico do Senai Paraná para a WorldSkills.

“Essa nova eliminatória faz com que os competidores se mantenham em constante treinamento e atualização; além disso, possibilita ao Brasil enviar para o mundial o profissional que permanece mais bem preparado e qualificado para representar o país na sua ocupação profissional”, explica.

Anne trabalha atualmente como Artista 3d, criando modelos na Afterverse, estúdio de games da Movile, holding de tecnologia líder na América Latina, além de desenvolver alguns projetos pessoais e freelances na área de games.

“O artista 3d é o profissional que cria os modelos 3d para compor os gráficos dos jogos digitais, um segmento que vem crescendo bastante, com pessoas talentosas e dedicadas ascendendo profissionalmente”, diz Anne.

Já na #57 – Manufatura Aditiva – Engenharia Reversa, Caio Pimentel, Técnico em Mecatrônica formado pelo Senai Paraná, entra com tudo competindo com Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, na cidade de Campinas (SP), mesmo local em que Gabriel dos Santos disputa a vaga na modalidade #08 – Desenvolvimento de Aplicativos para Celular com o competidor de Minas Gerais.

“É uma honra concorrer para representar o nosso país. Vejo a WorldSkills como uma oportunidade para aprimorar as minhas habilidades técnicas e profissionais na área de manufatura aditiva, aplicando conceitos de Engenharia Reversa e aprimorando, também, minhas competências profissionais”, diz Caio que já faz parte da equipe de colaboradores da Indústria Bosch, em Curitiba.

Para o londrinense Gabriel dos Santos, a oportunidade é única.

“Participar da eliminatória final da WorldSkills é uma chance única e estou esperando por uma competição bem acirrada”, diz Gabriel, formado em Técnico em Informática pelo Senai Londrina e atualmente tech lead (líder de tecnologia) na Arbo, startup especializada no mercado imobiliário.

Já em Palmas, no Tocantins, Leonardo Silio vem com tudo na ocupação #09 – TI Soluções de Software, competindo com os estados do Alagoas, Minas Gerais, Santa Catarina e São Paulo, além do Distrito Federal.

“Essa vai ser uma competição acirrada com todo mundo dando tudo de si. Espero, acima de tudo, conseguir dar tudo de mim, representando muito bem o nosso estado e conquistando a vaga para representar o nosso país em Shanghai”, diz Leandro.

“Estamos muito satisfeitos com a performance que os nossos alunos competidores estão alcançando em seus treinamentos técnicos profissionais. Sempre que o Senai Paraná entra ‘em campo’ para competir, percebo olhares atentos de outros profissionais querendo aprender sobre as nossas técnicas de trabalho. Com certeza nossos alunos competidores vão representar muito bem o nosso Estado, visando estar entre os melhores do mundo em Shanghai”, analisa Pires, que destaca a estreia do Senai Paraná na modalidade #08 – Desenvolvimento de Aplicativos para Celular.

“É a primeira vez que participamos nessa categoria e foi surpreendente o aprendizado e a evolução do nosso representante paranaense Gabriel dos Santos, que está supermotivado. Vamos pra cima”, afirma Pires.

Indústrias buscam por profissionais bem colocados em mundiais de profissões técnicas como a WorldSkills International

Em relação ao mercado de trabalho, o delegado técnico do Senai Paraná para a WS conta que as indústrias buscam, cada vez mais, por profissionais bem colocados em mundiais de profissões técnicas como a WorldSkills International.

“O Senai Paraná possui infraestrutura e profissionais voltados para a realidade das indústrias. Nossos robôs, máquinas CNC e softwares são de tamanho real e uso prático, refletindo a realidade das indústrias dentro de nossos laboratórios”, afirma.

“Com a preparação intensiva para eventos especiais como a WorldSkills, os alunos participantes se tornam muito valorizados e são disputados no mercado de trabalho e também muito visados internacionalmente, como no caso de alguns egressos que seguiram carreia nos Emirados Árabes, Irlanda e Suécia”, diz Pires.

“Enche os olhos ver que estamos fazendo a diferença na qualidade de vida dessas famílias e no desenvolvimento tecnológico do nosso país, por meio da educação”, acrescenta.

“No ramo industrial, a manufatura aditiva é bem-vista nos setores de engenharia e desenvolvimento de novos produtos e processos de fabricação. É uma que permite a produção de peças de geometria complexa, minimizando o desperdício de matéria prima e com baixo custo de produção se comparado aos métodos de fabricação convencionais (usinagem)”, explica Caio.

“É uma área com enorme potencial de expansão, devido a versatilidade de desenvolvimento de produtos com menor consumo energético e potencial de produção em grandes escalas, com tempos reduzidos e aplicações especializadas, como a área de medicina (próteses ortopédicas e odontológicas) e fabricação de produtos altamente detalhados como o setor de joalheria”, acrescenta Caio, que faz parte do time de colaboradores da Bosch, em Curitiba.

“A manufatura aditiva é uma modalidade nova que exige muita tecnologia pensando em futuro. A preparação do Caio foi muito boa e estamos bastante esperançosos pelo bom resultado; a nossa participação, nessa modalidade, ocorre de maneira estratégica, visando a aquisição de competências com esse olhar de futuro”, explica Fábio Silveira, chefe de treinamento técnico da Bosch, sobre a participação do profissional técnico neste mundial.

Além de Caio Pimentel, na Engenharia Reversa, a Bosch tem no seu quadro de colaboradores os jovens aprendizes Nicolas Edouard Srour competindo na ocupação #05 – Desenho Mecânico em CAD e Marcus Vinicius Pires, na ocupação #07 – Fresagem CNC, ambas previstas para o final do mês de maio.

“Em CAD temos um histórico vitorioso. Nas duas últimas edições pegamos pódio com medalha de prata com diferença mínima de pontas para a medalha de ouro e, mais uma vez, não tenho dúvidas de que estamos indo para esta eliminatória com grandes chances de uma medalha de ouro, já que é uma modalidade consagrada e, estrategicamente, para a indústria, estamos falamos de projetos; a comunicação dentro de uma indústria metalúrgica ocorre por meio de desenhos, e essa modalidade tem tudo a ver com isso; estamos falando de projetos no computador”, diz Silveira, sobre a ocupação #05 – Desenho Mecânico em CAD.

O chefe de treinamento técnico da Bosch também comenta sobre a participação do Paraná na modalide #07 – Fresagem CNC. “Na Fresagem CNC também temos um histórico muito positivo e o Paraná está consolidado sempre nas primeiras colocações e essa é uma nova oportunidade para buscando essa vaga para o mundial. Sabemos que esta é uma prova bem difícil, mas, em uma competição, tudo pode acontecer. Não é só técnica; sabemos que existe o lado emocional, os acertos e como o competidor vai reagir quando enfrentar as dificuldades que ocorrem em todas as provas”, acrescenta.

Para os profissionais que desejam atuar nas áreas de Arte Digital 3D para games, Desenvolvimento de Aplicativos para Celular; Manufatura Aditiva – Engenharia Reversa; e TI Soluções de Software, o Senai Paraná está com inscrições abertas para os Cursos Técnicos com entradas flexíveis nas áreas de Informática, Técnico em Desenvolvimento de Sistemas, Técnico em Programação de Jogos Digitais; Técnico em Mecatrônica, Mecânica e Eletromecânica.

Mercado busca por profissionais técnicos na área de TI – Paraná é o 5º no ranking de contratações

“A área de TIC é uma boa área para seguir carreira profissional. É um dos setores que mais tende a crescer e precisar de gente, mas também é um dos setores que mais tende a evoluir, exigindo muito preparo e estudo”, diz Leandro Silio, representante do Paraná na ocupação #09 – TI Soluções de Software.

Segundo dados da Brasscom – Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais, o Brasil forma, em média, 53 mil pessoas por ano com perfil tecnológico e, até 2.025 o setor vai demandar 797 mil novos talentos.

De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o Paraná é o quinto no ranking na contratação de profissionais do setor de TIC, com 6.646 novas vagas geradas em 2021, atrás dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em relação ao gênero, o setor de TIC ainda empregou mais homens (3.499) do que mulheres (3.147).

Curitiba é a primeira cidade que gerou mais vagas no estado na área de TIC, seguida por Maringá e Londrina.

No Paraná, as novas contratações são predominantemente jovens profissionais na faixa de 18 a 24 anos (3.214), seguidos por profissionais de 25 a 29 anos (1.500) e de 30 a 39 anos (1.192).

A maioria dos profissionais contratados ainda tem grau de formação superior incompleto.

“Chama atenção os dados de escolaridade. O setor contrata mais mão de obra com ensino superior incompleto. Geralmente na economia aparece na liderança a contratação com ensino médio completo. Essa diferença pode indicar o problema da falta de mão de obra qualificada; as empresas estão contratando trabalhadores antes mesmo deles se formarem ou terem maior experiência no mercado de trabalho”, analisa o economista do Sistema Fiep, Thiago Quadros.

Ao todo, o setor empregou 43.129 trabalhadores em 2.021 no estado.

Para fazer parte deste mercado, os profissionais podem iniciar a sua formação a partir de Cursos Técnicos com entradas flexíveis nas áreas de Desenvolvimento de Sistemas, Manutenção e Suporte em Informática, Redes de Computadores, além dos coringas Técnico em Informática e Técnico em Informática para Internet.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo