fbpx
GeralPolítica

Sérgio Moro explica entrada e saída do Governo ao se filiar ao Podemos

O ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro fez projeção sobre o futuro do país no que diz respeito à economia. Para Moro, os juros “vão subir mais” no governo Bolsonaro. As declarações foram dadas na manhã desta quarta-feira (10) durante ato de filiação ao Podemos, em Brasília-DF.

“Mesmo com o fim da pandemia, a economia não vai bem. As pessoas ainda estão sofrendo. Há brasileiros passando fome. E isso eu tenho certeza que dói no íntimo de cada um de nós. A inflação está muito alta. Os técnicos falam em um número, mas quem vai no posto de gasolina, quem vai na padaria, sabe que é muito mais”, declarou Moro, que não se intitula candidato à Presidência, mas é um dos nomes em pesquisas relacionadas ao tema.

Moro declarou que os juros serão ainda maiores durante a gestão de Jair Bolsonaro, e que isso ocorre porque “o país se encontra num rumo errado”.

“Os juros subiram, dificultando ainda mais a vida do empresário, do agricultor ou das pessoas comuns. E os juros ainda vão subir mais neste governo, isso vai tornar a vida das pessoas mais difícil. Não digo isso porque sou pessimista. Mas é porque o país se encontra no rumo errado”, disparou.

“Em 2018, eu recebi um convite do presidente eleito para ser ministro. Eu tinha, em 2018, esperança por dias melhores, como todo brasileiro eu pensava no que nós havíamos presenciado nos últimos anos”, afirmou Moro, citando casos de corrupção na Petrobras. “Era um momento que exigia mudança. Eu como juiz da Lava Jato me sentia no dever de ajudar”, prosseguiu.

“Aceitei o convite e ingressei no governo. O meu objetivo era melhorar a vida das pessoas por meio de um trabalho técnico, principalmente reduzindo a corrupção e outros crimes”, disse.

Moro falou que, enquanto ministro da Justiça e Segurança Pública, diminuiu a criminalidade no país no primeiro ano de gestão. “Combatemos pra valer o crime organizado”, alega. “Isolamos, por exemplo, em presídios federais, as lideranças das gangues mais perigosas do país. Ninguém combateu o crime organizado de forma mais vigorosa do que o Ministério da Justiça durante a minha gestão. Até quem não gosta de mim reconhece isso.”

O ex-ministro disse em seguida que deixou o governo Bolsonaro porque não teve respaldo para combater a corrupção. Moro alfinetou a atual gestão e disse que a promessa de combate a crimes sem proteção a ninguém, foi quebrada.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo