fbpx
Saúde

Vacinação começa por grupos prioritários

Serão 52 boxes destinados à vacinação, com acessibilidade plena para cadeirantes, mais áreas de espera no pré-vacina e de estabilização no pós-vacina

Haverá ainda consultório médico, uma sala de observação e emergência equipada com oxigênio, ambulância de plantão e sanitários públicos. E também um setor de administração, almoxarifado com 130 m² para acondicionar insumos e mais 100 m² climatizados para preservar as vacinas em refrigeradores especiais, além de espaço para material de limpeza e área de resíduos separada. Próximo à entrada estará o posto da Guarda Municipal e uma ala destinada à imprensa.

Circulação e Drive-Thru

A circulação no ambiente interno de vacinação será em sentido único.

Chegando ao Pavilhão da Cura, as pessoas serão identificadas na recepção, que contará com dez guichês separados por divisórias em acrílico, e encaminhadas a uma área interna onde aguardarão o chamamento aos boxes de vacinação. Após receber a dose da vacina, seguirão a uma área de estabilização e de lá a uma saída lateral.

Destinado à vacinação de idosos, um drive-thru irá operar com 10 barracas na rua de serviço anexa ao pavilhão acessada pela Alameda Burle Marx em sentido único da entrada do Parque pela BR-277 para a Avenida Cândido Hartmann.

Uma efetivo de 150 pessoas, entre servidores da Saúde e equipe de apoio, irá atuar permanentemente na rotina de vacinação no Pavilhão da Cura. A entrada e saída dos funcionários será independente do público que será vacinado. A equipe contará com área de descanso, vestiário de entrada e saída e copa para a alimentação.

Com 7.500 metros quadrados, o Centro de Exposições Positivo, no Parque Barigui, será o espaço oficial de Curitiba para imunização da população contra a covid-19. O local contará com 50 salas de vacinação, onde trabalharão por turno 100 profissionais da Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

O Centro de Vacinação e outros detalhes estão no Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19, apresentado nesta quinta-feira (14/1), pela SMS de Curitiba no Comitê Municipal de Respostas às Emergências em Saúde Pública (Comresp).

A escolha de Curitiba por um centro de vacinação é por razões de segurança, e otimização das doses de vacinas. Além de ser um espaço que permite o distanciamento social adequado. O lugar também é estratégico para caso de vacinação por drive-thru, se necessário.

Entre os primeiros vacinados estarão profissionais da linha de frente da covid-19, equipes de UTIs e no atendimento direto de pessoas contaminadas, portanto não seria prudente fazer uma vacinação desse público nas unidades de saúde, por exemplo. Além do mais, estamos lidando com uma vacina nova e não podemos nos dar o luxo de desperdícios”, disse a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

No Plano Municipal de Vacinação constam ainda dez Unidades de Saúde que poderão ser ativadas exclusivamente para imunizar a população quando mais vacinas forem enviadas.

“Nós teremos vacinação descentralizada nas Unidades de Saúde quando tivermos doses suficientes, mas como nesse início serão grupos prioritários, o objetivo é ter o máximo controle para não haver perdas”, complementou Márcia.

Grupos prioritários

Curitiba seguirá as etapas de vacinação do plano nacional de imunização.

Os primeiros a serem vacinados na cidade serão pessoas de maior vulnerabilidade como profissionais de saúde da linha de frente da covid-19 e idosos e trabalhadores de instituições de Longa Permanência (asilos) e a população indígena.

Nessa etapa estão previstos 18.150 pessoas a serem vacinadas. Ainda dentro da primeira fase serão atendidos os demais profissionais de saúde, seguindo a ordem do Plano Municipal.

Esses três primeiros grupos estão em alinhamento com o Plano Nacional de Vacinação, pois precisamos dos nossos profissionais imunizados para que continuem na linha de frente, atendendo a população”, explica a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Vacina por agendamento

Para evitar aglomerações e facilitar a identificação, a vacina para a população será agendada pelo Aplicativo Saúde Já, de acordo com o cronograma.

Quem tem cadastro no Saúde Já receberá a informação do agendamento pelo aplicativo. Os demais serão informados por outros canais.

Os três primeiros grupos (profissionais de saúde, idosos em instituições de longa permanência e indígenas) não precisam do agendamento pelo aplicativo. A Secretaria começou a identificação dos profissionais que serão vacinados nessa primeira fase.

Monitoramento

Uma rede de suporte e monitoramento pós-vacina foi estruturado pela Saúde. A farmacovigilância, como é chamada, é comum sempre que novos medicamentos ou imunizantes são aplicados.

As pessoas vacinadas também receberão pelo aplicativo Saúde Já um questionário para avaliar o pós-vacinação.

foto gerson klaina -Tribuna do Paraná

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo