Geral

Contêineres da Sanepar no Litoral chamam a atenção para a preservação ambiental

Três unidades de apoio da Sanepar no Litoral começam a funcionar nesta segunda-feira (3) para a temporada do Verão Paraná – Viva a Vida 2021/2022. Os contêineres instalados no calçadão em frente à praia de Ipanema, em Pontal do Paraná, na Avenida Atlântica, em Matinhos, e próximo ao Morro do Cristo, em Guaratuba, vão promover ações de educação ambiental, celebrando os 10 anos de limpeza das praias feita pela Companhia durante as temporadas de verão.

Os contêineres serão ponto de recolhimento de óleo usado de cozinha, terão totem de autoatendimento para os clientes e, também, um painel luminoso que vai informar a quantidade de lixo retirada das praias diariamente.

Fotografias do peixe Mero (Epinephelus itajara) e da Tartaruga-verde (Chelonia mydas) ilustram os contêineres a fim de chamar a atenção dos veranistas para a preservação do meio ambiente. O registro desses animais foi feito no Parque Nacional Marinho das Ilhas dos Currais, em Praia de Leste, pelo pesquisador Robin Loose, da Associação MarBrasil, que cedeu o uso das imagens.

O objetivo da Sanepar com esta comunicação visual é despertar, como em outras ações da Companhia, a consciência ecológica dos paranaenses. Além de valorizar o trabalho local desses profissionais que atuam na conservação do ecossistema marinho-costeiro, as imagens destacam a beleza do Litoral paranaense.

“É muito interessante divulgarmos essas imagens porque as pessoas não sabem que muitas espécies utilizam toda a nossa costa como refúgio, alimentação e reprodução”, afirma Gabriel Marchi, fotógrafo e também integrante da Associação MarBrasil.

De acordo com ele, o peixe Mero, por exemplo, é catalogado pela União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês) como vulnerável à extinção e tem sua pesca proibida na costa ocidental do Atlântico Sul. “Ele é muito curioso, é manso, tem cerca de dois metros e está no topo da cadeira alimentar, ou seja, não tem predadores naturais. A presença dele é um sinal de que toda a cadeia abaixo dele está em ordem, é um ambiente preservado, saudável e em equilíbrio”, explica o fotógrafo.

O mesmo acontece com a tartaruga-verde. Ela raramente desova em nosso Litoral porque precisa de regiões mais quentes, mas usa as águas para se alimentar. “A nossa água é mais turva, não porque é suja, mas por ter muitas proteínas, substâncias necessárias para a vida. É uma qualidade desse ecossistema”, afirma Marchi.

ODS – Os contêineres também trazem os símbolos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), dos quais a Sanepar é signatária e busca o seu cumprimento. A Companhia prioriza os ODS 3 (Saúde e Bem-Estar), 6 (Água Potável e Saneamento), 12 (Consumo e Produção Responsáveis) e 13 (Ação contra a mudança global do clima). Nesta ação, destacam-se ainda os ODS 14 – Vida na água (Conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável) e 11 (Cidades e comunidades sustentáveis).

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo