fbpx
Saúde

Pesquisa do PROADI-SUS irá avaliar adolescentes mães buscando identificar os impactos da gestação precoce

A gravidez na adolescência é um desafio preocupante à saúde pública em todo o mundo e, em especial, no Brasil. Segundo dados preliminares do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos – SINASC, houve em 2020 mais de 380 mil filhos de mães adolescentes (até 19 anos)1 — faixa etária considerada de alto risco para as gestantes, fetos e recém-nascidos2.

A ocorrência desses casos impacta diretamente no agravamento de problemáticas sociais, biológicas e psicológicas nas mães, sendo a gravidez na adolescência um grande desafio não só à saúde pública, mas a sociedade como um todo.

Por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), e em parceria com o Ministério da Saúde, o Hospital Moinhos de Vento lidera a projeto “Adolescentes Mães — O impacto da gravidez precoce”, responsável por avaliar adolescentes mães (entre 10 e 20 anos incompletos) e seus filhos.

Objetivo do estudo é avaliar e comparar o perfil e impacto biopsicossocial dessas jovens em relação a mães adultas (entre 20 e 30 anos incompletos), com enfoque maior nos casos de ansiedade e depressão. O projeto também será responsável por desenvolver vídeos, podcasts e cartilhas informativas sobre educação abrangente em sexualidade para conscientização da população.

O encerramento da ação está previsto para o segundo semestre de 2023 e para o Dr. Tiago Chagas Dalcin, médico líder do projeto, os resultados serão de grande valia para o SUS.O foco da pesquisa é a avaliação do impacto da gestação na saúde da adolescente e também no desenvolvimento do seu filho. É uma questão muito complexa que precisa ser melhor avaliada no Brasil. O impacto de uma gestação em uma adolescente é diferente de uma mulher que teve gravidez na vida adulta. Iremos medir também os impactos das gestações do ponto de vista econômico para o SUS. Os resultados serão valiosos para a saúde, uma vez que servirão de base à formulação de novas políticas públicas, já que a gravidez precoce é acompanhada por diversas mudanças sociais — como o aumento da mortalidade infantil, pobreza e abandono dos estudos”.

O especialista salienta que há uma estreita relação entre a educação e gravidez precoce no Brasil. Os resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) demonstram a maior frequência de gravidez em adolescentes de 15 a 19 anos sem escolarização do que naquelas com 9 a 11 anos de estudo. Por esse motivo, o trabalho educacional é necessário para a conscientização e, consequentemente, para a redução da taxa de natalidade por adolescentes no país”.

O programa também irá oferecer capacitação aos profissionais que atuam na Atenção Primária à Saúde, Brasil inteiro, com o auxílio de 20 horas de aulas oferecidas na modalidade de educação a distância (EAD) e materiais informativos desenvolvidos por especialistas do Hospital Moinhos de Vento.

O Dr. Tiago Chagas Dalcin foi convidado para participar da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, promovida pelo Ministério da Saúde, onde teve a oportunidade de apresentar o projeto, no mesmo evento houve o lançamento da nova Caderneta do/da Adolescente. O evento foi gravado e, para conferir na íntegra, acesse o canal do Youtube do DataSUS.

Referências:

  1. Observatório da criança e do adolescente;
  2. Sociedade Brasileira de Pediatria

Sobre o PROADI-SUS

O Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde, PROADI-SUS, foi criado em 2009 com o propósito de apoiar e aprimorar o SUS por meio de projetos de capacitação de recursos humanos, pesquisa, avaliação e incorporação de tecnologias, gestão e assistência especializada demandados pelo Ministério da Saúde. Hoje, o programa reúne seis hospitais sem fins lucrativos que são referência em qualidade médico-assistencial e gestão: Hospital Alemão Oswaldo Cruz, BP — A Beneficência Portuguesa de São Paulo, HCor, Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Moinhos de Vento e Hospital Sírio-Libanês. Os recursos do PROADI-SUS advém da imunidade fiscal dos hospitais participantes. Os projetos levam à população a expertise dos hospitais em iniciativas que atendem necessidades do SUS. Entre os principais benefícios do PROADI-SUS, destacam-se a redução de filas de espera; qualificação de profissionais; pesquisas do interesse da saúde pública para necessidades atuais da população brasileira; gestão do cuidado apoiada por inteligência artificial e melhoria da gestão de hospitais públicos e filantrópicos em todo o Brasil. Para mais informações sobre o Programa e projetos vigentes no atual triênio, acesse o portal dos Hospitais PROADI-SUS.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo