EducaçãoGeral

UFPR retoma calendário letivo presencial em 31 de janeiro de 2022

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da Universidade Federal do Paraná aprovou, por unanimidade de votos, uma resolução que dá condições para o retorno letivo presencial em janeiro de 2022.
A decisão ocorreu em reunião nesta sexta-feira, 19 de novembro, e foi embasada na avaliação da Comissão de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 da UFPR, composta por cientistas de várias áreas que acompanham e analisam diariamente os dados pandemia de Covid-19 no Paraná e no Brasil desde março de 2020.

“Essa resolução dá previsibilidade e segurança para toda a nossa comunidade e foi construída ouvindo os alunos, os técnicos e os professores da UFPR. Faremos um retorno ao ensino presencial em janeiro, de forma inclusiva e marcada pela ciência”, disse o reitor Ricardo Marcelo Fonseca.

O professor Emanuel Maltempi de Souza – presidente da Comissão de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 e um dos pesquisadores responsáveis pela Vacina da UFPR – explicou aos integrantes do CEPE que este é o momento de maior otimismo desde o início da pandemia, com redução significativa de novos casos, casos ativos, internações e mortes pela doença, mesmo depois de feriados nacionais, com grande circulação de pessoas nos meses de setembro, outubro e novembro.

“Os dados sugerem que situação está caminhando para certo controle, graças à vacinação. No horizonte de dois meses e meio, estudos predizem que o número de casos estará reduzido em torno de 25 a 30% em relação aos atuais. Por isso, a nossa comissão tem uma opinião unânime de que ao final de janeiro o retorno das atividades presenciais com 100% de ocupação dos espaços deve ser seguro, observadas condições de controle de transmissão, como uso de máscara obrigatório e correto”, defendeu.

A professora Cristina Rodrigues, diretora do Setor Toledo, lembrou que atualmente os sistemas de saúde do Paraná e de Curitiba fecham leitos exclusivos para Covid-19, devido à redução das hospitalizações em razão da doença. “Não vejo motivos para não fazer o retorno de forma segura, 100% presencial, com ocupação de todos os ambientes da universidade. Espero que os regimes remotos sejam exceção a partir de janeiro”, afirmou.

Pareceres

Para decidir pelo retorno presencial, os conselheiros ouviram o parecer favorável dos cientistas da Comissão de Prevenção à Covid-19 e os posicionamentos oficiais da Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná (APUFPR) e do Diretório Central dos Estudantes (DCE), produzidos nas reuniões das entidades nesta quinta-feira, 18 de novembro.

As entidades de representação dos professores e dos estudantes posicionaram-se favoravelmente ao retorno presencial e elaboraram documentos com algumas exigências em relação – principalmente – ao cumprimento das normas de biossegurança, como uso obrigatório de máscaras, higienização de ambientes, disponibilização de álcool gel, testagem de pessoas com sintomas, monitoramento de casos, funcionamento integral dos Restaurantes Universitários e dos ônibus Intercampi.

O reitor Ricardo Marcelo Fonseca garantiu que a lista de exigências dos professores e alunos será atendida quase que na totalidade pela administração central, especialmente no que se refere ao cumprimento das medidas de biossegurança, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, a distribuição de máscaras gratuitamente para alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica, a disponibilização de álcool em gel para a comunidade, a higienização dos espaços, a testagem de casos sintomáticos, assim como a volta ao atendimento normal nos Restaurantes Universitários e nas linhas Intercampi.

O reitor também lembrou que as sociedades paranaense e brasileira retomam a normalidade e que outras universidades estaduais e federais anunciaram a volta presencial a partir do início de 2022, levando em conta a vacinação completa dos trabalhadores do ensino superior e dos alunos. “Se a pandemia nos ensinou algo é que as circunstâncias podem mudar. No entanto, os dados e a sociedade apontam que é o momento adequado para normatizar o que vai ocorrer daqui dois meses e meio”, afirmou.

Decisão

Os conselheiros votaram favoravelmente pelas alterações do Art. 2º da Resolução 22/21-CEPE, que regulamenta as atividades de ensino dos cursos de educação superior, profissional e tecnológica da UFPR, no contexto das medidas de enfrentamento da pandemia de Covid-19 no País.Com isso, a partir de 31 de janeiro de 2022 o ensino presencial na UFPR passa a ser a regra, com ensino híbrido ou remoto em casos excepcionais, baseados na Instrução Normativa número 90 (link ao final do texto), do governo federal, enquanto vigente – ou outra que a vier substituir.A nova resolução, com as alterações que permitem o retorno das aulas presenciais, será disponibilizada assim que for publicada pela Secretaria dos Órgãos Colegiados (SOC).

Link
Instrução Normativa 90 – https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-sgp/sedgg/me-n-90-de-28-de-setembro-de-2021-349566093

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo