fbpx
Geral

Assembleia Legislativa do Paraná homenageia a jornalista Roseli Abrão

A jornalista Roseli Abrão receberá uma homenagem da Assembleia Legislativa do Paraná.

A profissional dará nome ao Comitê de Imprensa, área reservada para que os profissionais de comunicação acompanhem as sessões plenárias.

O projeto de resolução da Mesa Diretora foi protocolado nesta terça-feira (07), e segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de ser votado em plenário.

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB) disse que essa será uma merecida homenagem à profissional que ao longo de muitos anos cobriu os trabalhos na Assembleia Legislativa do Paraná.

“A Roseli, jornalista e blogueira, transitou por essa Casa por muito tempo, praticamente uma vida circulando nos corredores da Assembleia e trabalhando para alguns parlamentares. É uma homenagem justa que a Assembleia presta a uma pessoa que deixa com certeza, principalmente no meio jornalístico, uma lacuna irreparável”.

Para o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro-secretário da Assembleia, a homenagem é um justo reconhecimento ao trabalho de quase quatro décadas da jornalista na cobertura da cena política paranaense.

“Roseli foi uma pioneira, exerceu sua profissão com dignidade e responsabilidade, e se tornou referência do jornalismo político do Paraná”, disse.

A proposta foi assinada pelos deputados Ademar Traiano (PSDB), Luiz Claudio Romanelli, Gilson de Souza (PSC), segundo-secretário da Assembleia, Anibelli Neto (MDB) e Nereu Moura (MDB).

A iniciativa altera uma resolução de 1992, que nominava o Comitê de Imprensa de Jornalista Wilmar Sauner.

O espaço passa a ser denominado Jornalista Wilmar Sauner e Jornalista Roseli Abrão.

Trajetória

Roseli Abrão era formada em jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e iniciou a carreira no início da década de 1970 no jornal Folha de Londrina, em Curitiba.

Trabalhou por 13 anos no jornal O Estado do Paraná como repórter, chefe de reportagem e editora.

Outros 10 anos da vida profissional foram dedicados ao jornal Correio de Notícias, onde permaneceu até o fechamento do veículo, em 1995.

Ali dedicou-se à cobertura na área política como editora da coluna Política & Políticos e, posteriormente, passou a assinar a sua própria coluna.

De 1995 a 2000 Roseli trabalhou no jornal Diário Popular, onde também assinou a sua própria coluna política.

A jornalista também foi colunista de política no jornal Hora H e no site Hora H News. Além de seu trabalho em jornais e sites de notícias, também atuou em campanhas eleitorais, na Agência Estadual de Notícias, durante os governos de Álvaro Dias e de Roberto Requião.

A trajetória profissional de Roseli Abrão também inclui a assessoria a partidos políticos. Nos últimos anos atuou na Assembleia Legislativa como assessora de imprensa da Liderança do PMDB e mantinha um site de notícias que leva o seu nome.

No dia 23 de novembro de 2021 Roseli faleceu aos 74 anos de idade, em virtude de tumores no cérebro, deixando seu esposo, Antônio da Cunha Santos, três filhos e três netos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo