fbpx
GeralSaúde

Médicos do Ministério da Saúde reforçam trabalho na Bahia

“Obrigado aos colegas médicos que atenderam ao chamado”. 

As palavras são do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que esteve  em Ilhéus, na Bahia, para entregar ao estado os primeiros profissionais do programa “Mais Médicos para o Brasil” que vão atuar nos municípios afetados pelas fortes chuvas.

Neste primeiro momento, 34 médicos chegaram à Bahia, mas a expectativa é que o número passe dos cem.

O objetivo é dar reforço e garantir acesso à saúde e atendimento médico a mais de 660 mil pessoas.

“Estamos todos juntos para dar apoio à população baiana que sofre as consequências dessas enchentes, uma das maiores que o estado já viu. A nossa palavra inicial é de agradecimento aos colegas médicos que atenderam ao chamado para reforçar o atendimento em saúde na Atenção Primária”, destacou Queiroga.

Os médicos foram acolhidos no início da manhã pelo ministro da Saúde e pelo secretário de Atenção Primária da pasta, Raphael Câmara, em Brasília.

Eles seguiram até Ilhéus em uma aeronave da Força Área Brasileira (FAB) acompanhados do ministro da Cidadania, João Roma e da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

“Contamos com a ajuda de vocês (médicos). Vocês vão estar lá na ponta, serão os nossos braços”, ressaltou Queiroga.

Um dos médicos que compõe o grupo de profissionais é Elias de Jesus Junior.

Ele aceitou o convite do Ministério da Saúde para atuar nos locais atingidos pelas chuvas e falou da importância de fazer parte desta missão.

 “Para mim, é uma satisfação saber que vou ajudar a população neste momento. Tenho visto o esforço que o governo Federal tem feito para amenizar a dor das famílias, por isso me sinto afortunado em fazer parte”, disse.

Segundo Câmara, a atuação dos profissionais na Atenção Primária é primordial para evitar possíveis epidemias de cólera, leptospirose, dengue e outros agravos.

Na acolhida dos médicos em Brasília, o secretário de Atenção Primária à Saúde falou que, atualmente, a Bahia conta com 1.477 profissionais do Mais Médicos em atividade.

“Com o Médicos pelo Brasil o número de vagas para o estado passará de 1.477 para 2.101, um acréscimo de 624 médicos”, informou o secretário.

Desde o fim de novembro, técnicos do Ministério da Saúde atuam na área para traçar um diagnóstico da situação e indicar a quantidade de médicos e enfermeiros necessária para atender cada uma das cidades afetadas, que decretaram situação de emergência e estado de calamidade pública.

Atualmente, a Bahia conta com 1,4 mil profissionais do “Mais Médicos” em atividade.

Força-tarefa pela Bahia

Até agora, o Ministério da Saúde enviou mais de R$ 19,7 milhões para apoiar o estado em ações de vigilância em saúde e prevenção de doenças.

Os recursos foram repassados fundo a fundo.

O objetivo é evitar possíveis consequências à saúde humana como o aumento de doenças transmissíveis, podendo culminar em situações epidêmicas.

Além disso, a pasta enviou medicamentos, vacinas, equipamentos e insumos.

Até agora, a operação enviou mais de 28 kits de medicamentos básicos e insumos estratégicos, suficientes para atender a mais de 40 mil pessoas.

Foram enviados também 5 milhões de insumos para controle de doenças como Dengue, Chikungunya e Zika, além de 1 milhão de frascos de hipoclorito de sódio para tratamento de água.

A Bahia recebeu também 100 mil doses de vacinas contra a Influenza, 40 mil doses de vacina contra Hepatite A pediátrica e 10 mil doses de vacina antirrábica humana.

As equipes de resgate também tiveram apoio do Ministério com botas, máscaras N95, casacos impermeáveis, uniformes e testes antígeno para detecção da Covid-19.

A operação conjunta do Governo Federal une forças dos ministérios do Desenvolvimento Regional, da Cidadania e da Saúde, além dos governos estadual e municipais.

O Ministério da Saúde monitora a situação de todos os locais afetados ininterruptamente, em uma sala de situação para inundações.

Ministério da Saúde

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo